• Projeto Traduções LIVRES

Protestos violentos não são a história. A violência policial é.

Atualizado: Jun 6

Os protestos acabarão eventualmente. Mas a violência sancionada pelo Estado contra negros americanos não.

Link:

https://www.vox.com/2020/5/30/21275507/minneapolis-george-floyd-protests-police-violence

Veículo: Vox.com

Data de publicação: 30/05/2020

Autorx: Dylan Scott

Título original:

Violent protests are not the story. Police violence is.

The protests will eventually end. But state-sanctioned violence against black Americans won’t.

Traduzido por/Translated by: Hannah Hebron

Os protestos contra a morte de George Floyd por um policial branco se espalharam de Minneapolis pelos Estados Unidos, revelando a raiva reprimida pelo racismo institucional em todo o país.


De certa forma, isso não é novidade. Por toda a história dos Estados Unidos, os negros foram submetidos a violência nas mãos do estado, ou agentes do estado, ou membros da maioria branca. Manifestações em massa contra a violência estatal também têm sido um elemento fixo da política norte-americana, do movimento dos direitos civis a Ferguson, Missouri, até hoje. As cenas de Minneapolis, Atlanta e Brooklyn na noite passada são apenas o capítulo mais recente dessa história.


E, no entanto, as queixas legítimas dos manifestantes já estão sendo analisadas por líderes políticos e outros, que questionam se os manifestantes estão registrando sua raiva adequadamente. Esse também é um padrão nesses momentos: as manifestações, tão visíveis e viscerais na cobertura da imprensa, tornam-se a manchete. Os problemas estruturais protestados começam a desaparecer em segundo plano.


Você pode ouvir esse viés nos comentários do presidente Donald Trump de que os manifestantes que apareceram do lado de fora da Casa Branca na sexta à noite "tinham pouco a ver com a memória de George Floyd". Ele os descartou como organizadores pagos.


Mas isso está errado. É claro que os protestos são sobre a morte de George Floyd. Os líderes políticos temem a violência nos protestos - e qualquer destruição de propriedades ou danos corporais são, é claro, preocupantes - mas suas preocupações demonstram a assimetria fundamental contra a qual os manifestantes estão se opondo. O estado detém o monopólio da violência legítima e costuma ser dirigido a jovens negros como George Floyd, Breonna Taylor, Eric Garner, Michael Brown e Tamir Rice - a lista continua. Quando morrem, os policiais responsáveis ​​freqüentemente não sofrem consequências negativas porque estão protegidos pela lei. Se os homens que mataram George Floyd forem presos por suas ações, serão exceções que provam essa regra de longa data.


No entanto, se a raiva e a frustração de séculos de opressão racial fazem com que um protesto pacífico se torne "violento" - e a maioria dos ataques relatados foram dirigidos contra propriedades, não contra pessoas, embora um homem tenha sido tragicamente morto em Detroit - de repente esse outro tipo de violência torna-se a história dominante no que diz respeito aos líderes políticos, uma ruptura na ordem natural que deve ser corrigida. O racismo sistêmico que levou a tantas vidas negras serem interrompidas se torna secundário.


Mas não deveria, porque esse é o verdadeiro problema que a América deve enfrentar. Caso contrário, mais cedo ou mais tarde, tudo isso acontecerá novamente.

Este post é parte do projeto Traduções LIVRES, que faz traduções livres de matérias e artigos produzidos originalmente em inglês por diversos veículos estrangeiros. Não existe nenhuma intenção comercial por trás da disponibilização desse conteúdo, apenas uma vontade de levar informação para quem não domina o idioma. Não possuímos nenhum direito sobre o conteúdo aqui disponibilizado, nem somos autorxs/produtorxs de nenhuma dessas matérias.

This post is part of the project Traduções LIVRES (free translations), that is currently translating materials and articles originally produced in English by several foreign journalists/writers and publish in different vehicles. There is no commercial intention behind making this content available, just a desire to bring information to those who do not speak the language. We are not the authors nor have the rights over the content provided here.

For any inquiries: hannahebron@gmail.com



3 visualizações
Envie seu pedido de TRADUÇÃO:

© 2023 Orgulhosamente criado com Wix.com