• Projeto Traduções LIVRES

"Se eu estivesse aqui, George Floyd ainda poderia estar vivo"

Atualizado: Jun 6


Link: https://www.thecut.com/2020/06/the-owner-of-cup-foods-speaks-about-george-floyds-death.html

Veículo: thecut.com

Data de publicação: 02/06/2020 Autor: Angelina Chapin Título Original: ‘If I Would Have Been Here, George Floyd May Still Be Alive’

Traduzido por/Translated by: Hannah Hebron

Em 25 de Maio, Mahmoud Abumayyaleh recebeu uma ligação em pânico de um de seus funcionários. O adolescente disse a ele que policiais estavam matando um homem do lado de fora do supermercado da família. Quando Abumayyaleh perguntou: "De quem você está falando?", O funcionário só respondeu: "Eles estão matando ele, o cara, eles estão matando ele".


"Certifique-se de filmá-lo e chamar a polícia para deter a polícia", implorou Abumayyaleh.


Nas 24 horas seguintes, os fragmentos trágicos da história se reuniram. Abumayyaleh descobriu que um garoto de 17 anos que trabalhava em sua loja ligara para o 911 para denunciar Floyd, pensando que ele havia comprado cigarros com uma nota falsificada de US $ 20. Derek Chauvin, um dos quatro policiais que apareceram, prendeu Floyd no chão e pressionou seu joelho em seu pescoço por mais de oito minutos, enquanto o homem de 46 anos ofegou por ar e implorou: “Não consigo respirar. " Floyd morreu logo depois.


Em uma entrevista ao The Cut, Abumayyaleh disse que é um protocolo padrão para as empresas notificarem a polícia sobre dinheiro falso, mas sua família conhece a maioria de seus clientes e raramente envolve policiais em questões da loja.


Abumayyaleh conhecia Floyd, chamando-o de “grande ursinho de pelúcia” que vinha à Cup Foods algumas vezes por semana para pagar sua conta de celular, e dizia que sempre se davam bem. Mas naquela noite fatal, alguns de seus funcionários mais jovens, com menos experiência, estavam trabalhando. Abumayyaleh deseja ter estado na loja para conversar com o próprio Floyd. "Se eu estivesse aqui, as autoridades não teriam sido chamadas", disse ele. "George Floyd ainda poderia estar vivo."


Após a morte de Floyd, o co-proprietário da loja, de 35 anos, decidiu garantir que os policiais não sejam chamados para a Cup Foods novamente.


"Os negros das comunidades urbanas são visados", disse ele. "Este é um passo para corrigir o problema."


Em uma declaração no Facebook no domingo, Abumayyaleh disse: "Até que a polícia pare de matar pessoas inocentes, lidaremos com incidentes como esse usando táticas não violentas que não envolvem a polícia". Ele dirá aos funcionários para não ligar para a polícia, a menos que haja uma situação extrema. E Abumayyaleh não pagará mais por oficiais de folga para patrulhar os negócios nas noites de sexta e sábado.


"Achamos melhor cortar nossos laços" com o Departamento de Polícia de Minneapolis, acrescentou Jamar Nelson, que foi contratado para fazer relações com a comunidade e a mídia na Cup Foods após a morte de Floyd.


"Não podemos permitir que mais homens negros ou pardos em nossa comunidade se tornem George Floyd", disse Abumayyaleh. “O que aconteceu fora do nosso estabelecimento foi uma tragédia. Nos sentimos péssimos. George Floyd não merecia morrer. "

Este post é parte do projeto Traduções LIVRES, que faz traduções livres de matérias e artigos produzidos originalmente em inglês por diversos veículos estrangeiros. Não existe nenhuma intenção comercial por trás da disponibilização desse conteúdo, apenas uma vontade de levar informação para quem não domina o idioma. Não possuímos nenhum direito sobre o conteúdo aqui disponibilizado, nem somos autorxs/produtorxs de nenhuma dessas matérias.

This post is part of the project Traduções LIVRES (free translations), that is currently translating materials and articles originally produced in English by several foreign journalists/writers and publish in different vehicles. There is no commercial intention behind making this content available, just a desire to bring information to those who do not speak the language. We are not the authors nor have the rights over the content provided here.

For any inquiries: hannahebron@gmail.com


5 visualizações
Envie seu pedido de TRADUÇÃO:

© 2023 Orgulhosamente criado com Wix.com